quinta-feira, maio 03, 2012

Delete é a tecla da libertação. Eu voltei. Não falei que ia voltar? Eu voltei. Eu sempre cumpro o que falo, agora. Essa é a novidade. Fui guardar a vela e a arruda no carro, que ficava a 50 ou 60 metros do barracão. E me vi menino atravessando a rua com medo do espírito no caminho da escola. Eles batem tambor e fazem macumba, dizem que os espíritos chegam e conversam com eles!!! E lá ia o menino, na calçada do Frango na Brasa, por via das dúvidas. O ruído da borracha da sola da bota esfregando os cascalhos na pisada era o mesmo da Espanha, mas isso na hora seria mentira dizer que pensei.
Me gustan los aviones, me gustas tú. Me gusta viajar, me gustas tú. Me gusta el viento, me gustas tú. Me gusta la mar, me custas tú. Me gusta soñar, me gustas tú. Que voy a hacer, je ne seis pas. Que voy a hacer je ne sais plus. Que voy a hacer, je suis perdu. Que horas son, mi corazón. Me gusta la moto, me gustas tú. Me gusta correr, me gustas tú. Me gusta la lluvia, me gustas tú. Me gusta volver, me gustas tú.  Me gusta marijuana, me gustas tú. Me gusta colombiana, me gustas tú. Me gusta la noche, me gustas tú. Me gusta camelar, me gustas tú. Me gusta la guitarra, me gustas tú. Me gusa colombiana, me gustas tú. Me gusta la montaña, me gustas tú. Me gusta la noche, me gustas tú. Me gusta la cena, me gustas tú. Me gusta la vecina, me gustas tú. Me gusta su cocina, me gustas tú. Me gusta el reggae, me gustas tú. Me gusta la canela, me gustas tú. Me gusta el fuego, me gustas tú. Me gustas Malasaña, me gustas tú. Me gusta la castaña, me gustas tú. Me gusta Guatemala, Me gustas tú.
Me gustas tú, chinita. 
Verdade é que pensei assim: eu menino atravessava a rua de medo dos sprito. E agora estou aqui, na escuridão total, pra guardar a vela e a arruda no carro, na casa de vocês, sentindo paz, sentindo alegria, agradecido pelo amor, pela bondade, pela simplicidade, pela humildade, pelo acolhimento. Vcs que são vistos por nós das mais diferentes formas, damos os mais diferentes nomes, mas que são uma coisa só. Vim à casa em que vcs se manifestam dessa maneira, pra conhecer esse aspecto de vcs, obrigado! Vela e arruda guardadas, a lua saiu e iluminou o caminho, em consonância linda e total com o que o vô me houvera dito pouquíssimo tempo atrás. 
E nesse ponto o leitor mais atento um pouco poderá perceber a mudança em relação a tudo o que foi dito até o parágrafo anterior; saudade disso, deixar as ideias passarem meio que do peito direto pros dedos, sem passar pelo ego. Ao ouvir 61 musicas seguidas de manuchao e lembrar da cultura negra com que se teve contato mais direto finalmente, tanto tempo antes planejado, a vida tem que ser assim, improviso! E as ideias vão sim sair independentente de ordem, pontuação precária, avirgula-se quando der, a amarula acabou, a lua se entreviu, saiu de trás da nuvem e a bagunça continua forte, choro de saudade e constatação, sorrio ao ver a fotinho, sinto saudade do papo na rua das casas flamejantes do sonho infantil. Amanhã sairei com manezinho, em algum pico especial de são paulo, manezinho lado bê de nelsinho tem esse dom, arrumar os lugares legais, tantos lugares legais, vai saber como o cabra faz pra isso, acho que se bobear o lugar se faz legal porque manezinho nele pisa. E bronzinha vai estar lá também, viadinho, mandou ligar depois, porque a porra do timinho tava jogando, tomara que tenha perdido. E eu trago dias depois a sensação boa de ter visto um filme bom, moça. E a bagunça total, e o manu chao, e a amarula? baubau.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home