sexta-feira, dezembro 05, 2008

Escrevo escondido, desrespeitando o pacto de não falar aqui.
Joguei uma semente no buraco de dimensões especificadas no verso daqueles pacotinhos de semente, que o marido da dona gérsei costumava vender na esquina da thomé franco com a josé pires.
Joguei a terra úmida em cima, dei umas batidinhas com a palma da mão, verti água pura e hoje a planta fez 05 anos.
05 anos de crescimento.
05 anos aprendendo e vivendo. Aprendendo a viver. Aprendendo vivendo.
S0u senhor dos meus erros, nem o bonzinho que alguns pensam, nem o horroroso que já pintaram. Um cara que erra mas que quer melhorar e melhora, no seu ritmo, aos poucos e sempre.
Hoje a planta fez 05 anos, de caule verde já formando casquinhas que prenunciam sua vocação a tronco.
Sobreviveu a chuvas fortes que, ao passarem, deixaram mais água a ser sugada pela raiz.
As folhas são tenras. Merecem cuidado. Cuidado terão.
A planta tem fertilizantes vários. Uns deles têm nome científico: golberius e jurubebis, à guisa de exemplo.
Em outras plagas brinquei para parabenizarem-na. Mas quem, realmente, merece parabéns, sou eu.
Por saber ter enxergado o destino. E continuar enxergando-o.
Atento. E livre.
Proteção eu peço. A São Jorge, a Santo Inácio de Loiola, a Deus.
Daqui a 05 anos escrevo outro desse.
CMU Against the world.


Links to this post:

Criar um link

<< Home