domingo, novembro 16, 2008

Parabéns!

Parabéns pelo teu 71º aniversário. O segundo longe. Quanto mais anos longe, mais perto o reencontro. Acabei de falar com a mãe, foi levar flores pra vc. Tuas cartas estão todas no criado-mudo, ela queria que eu as lesse, não consegui ainda. Viro a cabeça pra direita, vejo a foto das fotos, aquela que já falei no outro post. Tá no meu muralzinho. A cama de casal antiga, o abajur, aquele terço enorme que tinha na cabeceira, vc de pijama e eu de body, testas coladas, felicidade. Eu sou um cara muito feliz, vc sabe disso, ainda hoje disse a uma amigona que felicidade é um monte de momentos felizes. Mas se eu pudesse te ligar hoje eu seria mais feliz do que sou. Não importa. Eu decidi que vou celebrar teus aniversários pra sempre, ainda que em silêncio. Impossível não lembrar do dia da morte, mas isso vai ser um secundário. E agora vc me vem à cabeceira da mesa ressalvando que eu vivo me atendo ao secundário, que não posso fugir do principal. Continuo a minha dúvida, se de onde vc está vc me vê. Eu tenho certeza que vc me ajuda, principalmente nas coisas da profissão, mas não consigo entender como. Algumas pessoas vieram me contar coisas de vc agora, mas eu não consegui acreditar em nada. Daí de onde vc está vc sabe que eu não tenho lá tanta fé, é um problema isso. Mas a fé que tenho é suficiente pra uma revolução. E disso vc já deve saber também, se consegue ver. Interessante que a pessoa que mais me conheceu nesse mundo, agora pode estar conhecendo muito mais. Muito mais que eu mesmo me conheço. Se isso estiver acontecendo, vc deve estar muito feliz, por essas últimas semanas, sobretudo esses últimos dias. Deve estar vendo as cagadas, torcendo pela manutenção da força de vontade em corrigi-las, nutrindo os pequenos sucessos.
Vc deve estar vendo a proximidade do período da grande mudança. Como será que está sendo tua opinião a respeito, hoje? Algo me diz que um pouco diferente daquela que vc tinha, quando estava aqui. Será que vc já encontrou o vô? Os vôs? Vcs não sabem o orgulho que sinto de o meu sangue ser formado pelo sangue de vcs. De saber que, mesmo eu sendo único e, por isso mesmo, ter de resolver as coisas do meu jeito, saber que posso contar com uma reservinha inexplicável de fibras que me vieram dessa genética forte. A confiança que isso me dá é algo diferenciado.
A decisão de eu finalmente ser um homem por inteiro eu dedico a vcs, sobretudo a vc. De não fazer as coisas pela metade, não importa o que venha a acontecer.
Hoje estive com o seo artur e é muito bom como ele me remete a vc. Passou por um problema parecido e a força é a mesma. Essa força é a reservinha que o meu melhor amigo - e provável futuro parceiro, agora - tem pra contar e que vai passar pras duas pimpolhas. É o algo mais.
Algumas das pessoas envolvidas com a grande mudança me falam que vai ser muito bom terem o teu filho por perto. Sinto que levo essa responsabilidade boa, essa quase credencial. Queria muito conversar com vc sobre isso, quem sabe não acontece como nos livros, que ando lendo e eu apenas não me lembro qdo acordo?
A mãe está bem, imagine que ela está terminando de tocar a sua primeira obra na casa, passou raiva, mas aprendeu bastante. O Di está ótimo, a Naninha idem. Finalmente pus a TV a cabo, veio de graça, com a troca da net rápida. Continuo gostando da tua sala predileta, proibi a mãe de mexer em qualquer coisa tua lá. Dormir lá me acalma mais que nos outros lugares da casa. O escritório continua aquela zona. Obrigado por ter me ajudado na audiência monstra, eu senti.
Estou em falta com muita gente, alguns amigos teus vieram me procurar, acabei deixando passar, eu e as minhas gafes. Sou dez vezes mais desorganizado que vc, embora pra essas coisas vc sempre esteve em dia. Percebo que as pessoas não pensam sempre "ah, ele é legal, vou relevar", que na verdade pode passar a imagem de indiferença, de falta de consideração. Mas vc sabe, é o reflexo da minha luta interna. Que finalmente começo a ganhar.
O São Paulo faz muitas rodadas que não perde. Começou a ganhar na hora certa, mas tem três pedreiras, enquanto o segundo colocado tem três babinhas. Difícil, pois estamos apenas dois pontos na frente. O pior é que, no ano que o corintians jogou na segunda divisão, encontrei um rival tão chato quanto - e gremista! e tb corintiano!- É um sacana, mas é um desses amigos de infância que a gente conhece depois de velho. As coisas que ele fala qdo digo que estou com saudade de vc confortam demais.
Vou entrar com aquela ação da poupança, que caduca no fim de ano, tá todo mundo entrando. Amanhã vou dar uma pesquisada em algumas iniciais. Se perder, perdeu, pelo menos não vamos gastar com advogado.
Minha dissertação tá atrasadíssima, mas vc sabe como eu sou. Ainda não joguei a toalha de terminar esse ano. Essa é uma das minhas maiores preocupações no momento.
Às vezes tenho tido insônia e, qdo me vejo na pia, lambiscando alguma coisa de madrugada, lembro que muitos dos nossos papos começavam nessa hora e iam até quase amanhecer.
Muito ruim essa sensação de não ter aproveitado o suficiente. Mas vc me responderia que aproveitamos sim, o que pudemos.
Eu quero, no dia do seu aniversário e sempre, que vc esteja num lugar legal. Que, se ainda não estiver, que possa estar rápido. Que possa estar consciente de tudo e que possa continuar evoluindo. Mesquinharia querer te pedir um sinal. Bobagem, isso. Talvez seja só coisa da saudade. Quero é que vc esteja bem, onde estiver. E quando eu for, vc possa me receber.
Me ajuda a vencer, pai. Se puder.
Feliz aniversário,
Eu te amo.

Links to this post:

Criar um link

<< Home